2 grau de maturidade da placenta

A placenta na gravidez é o órgão mais importante que conecta a mãe ao bebê e garante o funcionamento normal do feto. Com o tempo, à medida que o embrião se desenvolve, a placenta tem a propriedade de envelhecer ou, em termos científicos, passa por vários estágios de maturidade.

A maturação da placenta é um processo natural que é necessário para a provisão completa da futura criança com todos os nutrientes necessários.

O segundo grau de maturidade da placenta normalmente corresponde aos termos de 34 a 37 semanas de gestação. Durante este período, a superfície levemente ondulada da placenta se torna mais tuberosa, aparecem múltiplas inclusões ecopositivas claras. O índice de maturidade da placenta é geralmente determinado pelo diagnóstico ultrassonográfico, bem como pela espessura da placenta, que também é uma característica importante do funcionamento normal do feto. A 2 graus de maturidade da placenta, sua espessura deve estar na faixa de 28 a 49 mm. A discrepância entre a espessura da placenta e o período de maturidade indica uma violação do curso da gravidez e uma possível ameaça para o feto.

Distúrbios e patologias associadas ao grau de maturação da placenta

Como já mencionado acima, a placenta do segundo grau de maturidade geralmente corresponde ao termo 34-37 semanas de gestação. Se, no ultra-som, uma mulher é colocada 2 maturidade da placenta em um momento anterior, eles dizem que o envelhecimento prematuro da placenta.

Envelhecimento prematuro da placenta

É caracterizada por um desenvolvimento mais precoce da placenta (envelhecimento), que envolve possíveis condições fetais que ameaçam a saúde. Na maioria das vezes fala-se em hipóxia do feto, isto é, suprimento insuficiente de oxigênio, o que leva à falta de oxigênio. Ao mesmo tempo, devido à oferta insuficiente do futuro bebê com nutrientes, pode haver anormalidades por parte das funções do cérebro e, para o processo de parto, seu início prematuro e curso severo.

As causas do envelhecimento prematuro da placenta:

  • diabetes mellitus e outros distúrbios hormonais no corpo da mãe;
  • abortos, que a mulher fez antes do início desta gravidez;
  • doenças endócrinas da futura mãe (doença da tiróide);
  • toxicose tardia - gestose;
  • fumar ou beber álcool pela mãe;
  • desordens cardiovasculares crônicas;
  • hepatite e outras doenças do fígado;
  • doenças do sistema urinário;
  • infecções do trato genital e do útero.

No entanto, apesar de tais dados ameaçadores, uma mulher que é diagnosticada com o estágio de maturidade da placenta 2 em um período inferior a 33 semanas não deve entrar em pânico. O médico irá prescrever testes e testes adicionais sobre o fluxo sanguíneo fetal. Se esta patologia não for encontrada, então a mulher não tem nada com que se preocupar. No caso de confirmação de uma ameaça real à vida normal do feto, é prescrito tratamento eficaz no hospital. Por via de regra, o curso de droga destina-se a restaurar as funções da placenta para uma provisão crescida do bebê com todos os nutricionais o segundo grau de maturidade da placentasubstâncias.

2 o grau de maturidade da placenta em um tempo que não corresponde à norma nem sempre significa a presença de uma patologia. Se o médico não notar a verdadeira ameaça de parto prematuro, então, provavelmente, será prescrito um tratamento com os medicamentos Curantil ou outros medicamentos apropriados em casa. Em qualquer caso, uma mulher deve seguir rigorosamente as recomendações do médico e chegar regularmente à recepção.

E claro, sempre recomendando uma ótima caminhada ao ar livre, pelo menos 2 horas por dia. Esta é uma excelente prevenção da hipóxia fetal, bem como um excelente tratamento auxiliar para o envelhecimento prematuro da placenta.

Written by

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

− 6 = 3

2 grau de maturidade da placenta

A placenta na gravidez é o órgão mais importante que conecta a mãe ao bebê e garante o funcionamento normal do feto. Com o tempo, à medida que o embrião se desenvolve, a placenta tem a propriedade de envelhecer ou, em termos científicos, passa por vários estágios de maturidade.

A maturação da placenta é um processo natural que é necessário para a provisão completa da futura criança com todos os nutrientes necessários.

O segundo grau de maturidade da placenta normalmente corresponde aos termos de 34 a 37 semanas de gestação. Durante este período, a superfície levemente ondulada da placenta se torna mais tuberosa, aparecem múltiplas inclusões ecopositivas claras. O índice de maturidade da placenta é geralmente determinado pelo diagnóstico ultrassonográfico, bem como pela espessura da placenta, que também é uma característica importante do funcionamento normal do feto. A 2 graus de maturidade da placenta, sua espessura deve estar na faixa de 28 a 49 mm. A discrepância entre a espessura da placenta e o período de maturidade indica uma violação do curso da gravidez e uma possível ameaça para o feto.

Distúrbios e patologias associadas ao grau de maturação da placenta

Como já mencionado acima, a placenta do segundo grau de maturidade geralmente corresponde ao termo 34-37 semanas de gestação. Se, no ultra-som, uma mulher é colocada 2 maturidade da placenta em um momento anterior, eles dizem que o envelhecimento prematuro da placenta.

Envelhecimento prematuro da placenta

É caracterizada por um desenvolvimento mais precoce da placenta (envelhecimento), que envolve possíveis condições fetais que ameaçam a saúde. Na maioria das vezes fala-se em hipóxia do feto, isto é, suprimento insuficiente de oxigênio, o que leva à falta de oxigênio. Ao mesmo tempo, devido à oferta insuficiente do futuro bebê com nutrientes, pode haver anormalidades por parte das funções do cérebro e, para o processo de parto, seu início prematuro e curso severo.

As causas do envelhecimento prematuro da placenta:

  • diabetes mellitus e outros distúrbios hormonais no corpo da mãe;
  • abortos, que a mulher fez antes do início desta gravidez;
  • doenças endócrinas da futura mãe (doença da tiróide);
  • toxicose tardia - gestose;
  • fumar ou beber álcool pela mãe;
  • desordens cardiovasculares crônicas;
  • hepatite e outras doenças do fígado;
  • doenças do sistema urinário;
  • infecções do trato genital e do útero.

No entanto, apesar de tais dados ameaçadores, uma mulher que é diagnosticada com o estágio de maturidade da placenta 2 em um período inferior a 33 semanas não deve entrar em pânico. O médico irá prescrever testes e testes adicionais sobre o fluxo sanguíneo fetal. Se esta patologia não for encontrada, então a mulher não tem nada com que se preocupar. No caso de confirmação de uma ameaça real à vida normal do feto, é prescrito tratamento eficaz no hospital. Por via de regra, o curso de droga destina-se a restaurar as funções da placenta para uma provisão crescida do bebê com todos os nutricionais o segundo grau de maturidade da placentasubstâncias.

2 o grau de maturidade da placenta em um tempo que não corresponde à norma nem sempre significa a presença de uma patologia. Se o médico não notar a verdadeira ameaça de parto prematuro, então, provavelmente, será prescrito um tratamento com os medicamentos Curantil ou outros medicamentos apropriados em casa. Em qualquer caso, uma mulher deve seguir rigorosamente as recomendações do médico e chegar regularmente à recepção.

E claro, sempre recomendando uma ótima caminhada ao ar livre, pelo menos 2 horas por dia. Esta é uma excelente prevenção da hipóxia fetal, bem como um excelente tratamento auxiliar para o envelhecimento prematuro da placenta.

Written by

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

79 + = 83